Free Essay

As Deficiências Nos Canais de Transmissão E a Ineficácia Da Política Monetária No Brasil

In: Business and Management

Submitted By josemorrinson
Words 2959
Pages 12
temas de economia aplicada

15

As Deficiências nos Canais de Transmissão e a Ineficácia da Política Monetária no Brasil
Emilio Chernavsky (*)
Com efeito, após mais de dez anos os resultados alcançados pela política em termos do mix das taxas de inf lação e juros vigentes não têm sido particularmente brilhantes. Isso não deve surpreender se considerarmos que a maioria dos estudos realizados para o caso brasileiro que investigam o impacto das mudanças nas taxas de juro sobre os preços tende a mostrar um reduzido e mesmo por vezes contraditório efeito das variações nas taxas de juros sobre a inflação (ver survey em ChErnAvSky, 2011, p. 118), apontando a ineficácia da política monetária. te satisfatória têm estado presentes no Brasil. A transmissão dos efeitos da alteração na taxa Selic aos preços pode ser dividida em duas etapas. na primeira, a mudança na taxa básica de juros impacta a demanda agregada e, assim, o nível do produto. Em seguida, a variação do produto conduz à alteração nos preços. O debate tradicional acerca do funcionamento dos canais de transmissão tem se focado essencialmente nos mecanismos que operam na primeira etapa e definem as características de cada canal, e será apresentado brevemente com base na conhecida exposição de Mishkin (1995).

1 Introdução

Ao final da mais recente reunião do Copom/BCB, encerrada em 20 de abril último, foi divulgada a decisão do Comitê de, dando seguimento ao processo retomado em dezembro de 2010, elevar a taxa Selic em 0,25p.p., levando-a a 12,00% ao ano. Com isso, como tem sido o caso desde pouco antes da estabilização monetária em meados de 1994, a taxa básica real de juros no País permanece entre as mais elevadas do planeta. As altas taxas são geralmente justificadas como necessárias para permitir o controle da inflação no País. Efetivamente, a manipulação da taxa Selic pelo BCB constitui o instrumento principal senão o único na condução da política monetária desde a implantação do regime de metas de inf lação em meados de 1999. Entretanto, o fato de que, no caso do Brasil, a vigência de taxas de inflação que numa perspectiva internacional não são especialmente reduzidas requeira a manutenção de taxas reais de juros que, nessa mesma perspectiva, são excepcionalmente elevadas, tem provocado recorrentes questionamentos.

2 Os Canais de Transmissão

Amplamente reconhecida, essa ineficácia é normalmente explicada pelas deficiências e incertezas, especialmente agudas em países emergentes, envolvidas no funcionamento dos canais por meio dos quais as variações nas taxas básicas de juro afetam os preços – os canais de transmissão. Buscando avaliar o quão ineficaz a política efetivamente tem sido, analisar-se-ão a seguir os canais de transmissão mais frequentemente citados na literatura 1 , verificando se as condições necessárias para que eles operem de forma minimamen-

2.1 Canal da Taxa de Juros

Este canal não é nada mais que o mecanismo tradicional capturado pelo esquema IS-LM e proporciona um quadro geral para a análise da transmissão da política monetária. Os demais canais podem, inclusive, ser vistos como extensões ou detalhamento de alguns de seus pontos principais. O canal funciona

maio de 2011

16 da seguinte maneira: um aumento na taxa nominal de juros leva, em razão da presença de rigidezes de preços e salários, ao aumento da taxa real de juros e, portanto, ao aumento do custo do capital diante de uma rentabilidade que, a princípio, não se alterou. Este aumento provoca, em função do aumento do custo relativo do consumo e investimento presentes, a redução, por um lado, do investimento das empresas e, pelo outro, do consumo das famílias, principalmente em moradia e bens de consumo durável. Essa redução, por sua vez, leva à queda da demanda agregada e do produto da economia.

temas de economia aplicada de forma sistemática em pat amares extremamente elevados, fazendo com que a taxa de juros relevante para a tomada de decisões dos agentes privados seja muito superior à taxa básica, as alterações desta, mesmo quando repassadas integralmente, provocam variações percentuais nas taxas finais significativamente menores (ChErnAvSky, 2011, p. 128), reduzindo fortemente seu efeito potencial. Com isso, o efeito das variações na Selic sobre o volume de crédito às pessoas físicas tem sido praticamente nulo, enquanto o impacto negativo sobre o crédito às pessoas jurídicas foi pequeno e estatisticamente pouco significativo (ibidem, p. 130).

Para que o canal da taxa de juros funcione dessa forma, entretanto, três condições devem ser satisfeitas: 1. a alteração na taxa Selic deve levar à mudança das taxas relevantes para as decisões de investimento das empresas e consumo das famílias; 2. a variação dessas taxas deve provocar um impacto efetivo sobre o volume de crédito demandado; 3. a variação no volume de crédito deve se refletir no nível de atividade. Assumiremos que esta terceira condição de modo 2 geral tem se verificado no Brasil, e discutiremos, a seguir, as duas primeiras. Em relação à transmissão das variações nas taxas básicas de juros às taxas para os tomadores, como o spread bancário historicamente praticado no País tem se mantido

Por outro lado, em especial a partir de 2003, importantes mudanças institucionais e de política pública alteraram profundamente as características do mercado de crédito no País, que passou a se expandir fortemente. Com isso, as operações que até então nunca haviam alcançado 30% do PIB, superaram esse patamar no final de 2005 e continuaram crescendo rápida e quase que ininterruptamente até atingir 45% de um produto em expansão no início de 2010. Esse crescimento, que se orientou não somente aos gastos com investimento, mas, em grande medida, ao consumo – geralmente menos sensível às flutuações na taxa de juros – manteve-se inclusive e notadamente durante e nos meses que se seguiram aos dois períodos de intenso aperto monetário ocorridos entre set/04 e ago/05 e entre abr/08 e dez/08, assim como nos intervalos em que a taxa Selic permaneceu estável.

Ou seja, as mudanças estruturais no mercado de crédito associadas à baixa sensibilidade relativa da taxa final de juros às variações na taxa básica fizeram com que, ao longo do período examinado, os efeitos da política monetária transmitidos pelo canal da taxa de juros fossem inferiores ao que o bom funcionamento do canal exigiria, comprometendo sua efetividade.

2.2 Canal da Taxa de Câmbio

A existência deste canal se deve ao fato de que, numa economia aberta, um aumento da taxa de juros doméstica torna os ativos denominados em moeda local mais atrativos em relação aos ativos em moeda estrangeira e aumenta a demanda por eles, o que leva, mantida a paridade descoberta da taxa de juros, à valorização da moeda. Essa valorização, por sua vez, torna os bens produzidos localmente mais caros em relação aos bens estrangeiros, provocando a queda das exportações líquidas e, assim, da demanda agregada e do produto.

maio de 2011

temas de economia aplicada
A operação do canal da taxa de câmbio pressupõe: 1. a validade da paridade descoberta da taxa de juros, que permite que os movimentos nos juros se reflitam de forma previsível sobre a taxa de câmbio; e 2. a sensibilidade significativa das exportações líquidas às variações nessa taxa. Ambas as suposições são certamente discutíveis. cionamento deste canal não têm se verificado de forma satisfatória, comprometendo também sua eficácia. os níveis de investimento e consumo e, assim, a demanda agregada. Quando incorporamos na análise duas características centrais das estruturas da dívida pública e da distribuição da renda no país, a satisfação de ambas as condições se torna questionável.

17

2.3 Canal do Preço dos Ativos

Em relação à primeira, estudos internacionais geralmente questionam sua validade empírica, rejeitando-a de forma quase unânime para f lutuações no curto prazo. Para o caso brasileiro, desde meados de 2003 os efeitos de choques na Selic sobre a taxa de câmbio real foram pequenos e não significativos (ibidem, p. 132), sugerindo que, no curto prazo, a paridade descoberta da taxa de juros não tem se verificado. Em segundo lugar, a pauta de exportações brasileiras, concentrada em commodities e alguns poucos produtos industriais, e o ainda relativamente reduzido – embora crescente – coeficiente de importações no País, fazem com que as exportações líquidas do País se mostrem particularmente pouco sensíveis, no curto prazo, a flutuações na taxa de câmbio (ibidem, p. 133). Pode-se concluir, portanto, que as condições necessárias para o fun-

Este canal inclui dois mecanismos distintos. O primeiro deles apoia-se no q de Tobin, a razão entre o valor de mercado das firmas e o custo de reposição de seu capital. Quando q é superior a um, as firmas possuem um incentivo a investir para aumentar seu estoque de capital a um valor baixo em relação a seu valor de mercado. A elevação da taxa de juros aumenta a atratividade dos títulos novos em relação às ações pressionando pela redução do valor destas e, assim, da razão q , o que, por sua vez, leva à redução dos investimentos e, com isso, da demanda agregada. O segundo mecanismo opera através do efeito-riqueza sobre o consumo: quando os preços das ações e outros títulos caem em resposta a um aumento da taxa de juros, a riqueza das famílias se reduz e com isso seu patamar de consumo e a demanda agregada. A operação do canal do preço dos ativos requer, contudo, a satisfação de duas condições básicas: 1. a variação na taxa de juros deve ser efetivamente capaz de afetar o preço dos ativos, principalmente as ações e os títulos de dívida pública; e 2. esta variação deve influenciar

Por outro lado, a grande desigualdade na propriedade da riqueza faz com que uma parcela singularmente elevada dos ativos disponíveis na economia se concentre nas mãos de uma fração muito reduzida da população cuja propensão marginal a consumir é particularmente baixa, o que também faz com que o efeito das mudanças no preço desses ativos sobre o nível agregado de consumo seja pequeno.

Por um lado, se os preços das ações parecem reagir à elevação da taxa básica de juros como esperado, reduzindo-se, o mesmo não pode se dizer do preço dos títulos da dívida pública, que respondem por uma parcela extremamente elevada da riqueza financeira das famílias no país. Isto ocorre porque essa dívida contém uma participação sumamente elevada de títulos pós-fixados com duration praticamente igual a zero que não têm, em absoluto, seu valor afetado por alterações na taxa de juros, reduzindo fortemente o efeito dessas alterações sobre a riqueza das famílias e, assim, sobre seu nível de consumo.

maio de 2011

18
Além disso, se o efeito-riqueza da política sobre o consumo é limitado pela estrutura da dívida pública, o mesmo não ocorre com o efeito-renda causado por uma elevação da taxa de juros, a qual se reflete inst ant aneamente no aumento dos rendimentos dos detentores dessa dívida que, por sua vez, leva à expansão dos gastos em consumo e, assim, da demanda agregada, gerando um impulso contrário às intenções da política.

temas de economia aplicada isso, o colateral que podem oferecer para garantir os empréstimos tomados. nesse caso, as possíveis perdas dos bancos derivadas da seleção adversa aumentam. Por outro lado, a redução do valor das firmas eleva o problema do risco moral, uma vez que os proprietários possuem agora uma parcela menor das firmas e se tornam mais propensos a participar em empreendimentos arriscados. Ambos os efeitos levam à redução do volume de empréstimos concedidos e, dessa forma, à diminuição dos investimentos e da demanda agregada. Em ambos os casos, aumentos (reduções) nas taxas básicas de juro devem conduzir à diminuição (expansão) da oferta de crédito por parte dos bancos. Entretanto, como mostra a notável expansão do crédito, sustentada e pouco sensível às variações na taxa básica de juros, comentada acima no caso do canal da taxa de juros, os impactos das mudanças institucionais e de política pública têm superado amplamente os eventuais efeitos da política monetária transmitidos por ambos os subcanais. Com isso, a efetividade também do canal do crédito, no período examinado, se vê fortemente questionada. tem sido muito tímido (ibidem, p. 138). Esse impacto não é, contudo, o objetivo final da política monetária, que busca, por meio das variações no produto, afetar o nível de preços.

Tais considerações fazem com que a eficácia do canal de transmissão do preço dos ativos seja, também, altamente questionável.

2.4 Canal do Crédito

O canal de crédito pode ser dividido em dois subcanais: o primeiro, de empréstimos, apóia-se na especial importância dos bancos na alocação de recursos quando os problemas de informação assimétrica são particularmente pronunciados, como é o caso dos empréstimos concedidos a firmas pequenas e do crédito ao consumidor. Por meio deste canal, um aumento na taxa de juros provoca a diminuição dos depósitos e das reservas bancárias, forçando os bancos a reduzir a oferta de empréstimos. Com isso, diminuem os investimentos e o consumo, e, assim, a demanda agregada.

Entretanto, não se deve esperar que isto ocorra sem dificuldades numa economia tal como a brasileira, fortemente oligopolizada, na qual a atividade industrial (cujos preços são mais flexíveis) responde por apenas entre 25% e 30% do produto total, e onde os preços administrados possuem uma participação particularmente elevada nos índices de inflação (mais de 30% do IPCA). Estas condições, que normalmente levam a uma rigidez importante na formação dos preços, impedem que a variação nas quantidades produzidas se reflita total e rapidamente nos preços industriais e fazem com que os movimentos destes apenas de forma lenta e gradual sejam transmitidos aos demais preços da economia. Com efeito, o impacto das variações no produto industrial sobre o IPCA tem se mostrado, desde janeiro de 2003, extremamente baixo e não significativo (ibidem, p. 139).

O segundo subcanal, do balanço, opera através do impacto da política sobre o valor líquido das firmas: um aumento da taxa de juros tende a reduzir o valor daquelas e, com

3 Flutuações do Produto e os Preços

Em função das deficiências apontadas no funcionamento dos canais de transmissão no Brasil, o impacto das variações na taxa básica de juros sobre o produto industrial

Com isto e com o impacto limitado das variações na taxa básica de juros sobre o produto industrial acima verificado, dificilmente a política monetária poderia mostrar-se eficaz. E de fato, o impacto das variações na taxa Selic sobre a inflação medida pelo IPCA, além de extremamente modesto, tem sido

maio de 2011

temas de economia aplicada estatisticamente não significativo (ibidem, p. 139). institucionais e comportamentais que vêm se verificando ao longo do período no qual a política tem sido implantada. Em razão da violação dessas condições, a eficácia da política na situação concreta vigente no país tem se mostrado extremamente baixa, quando não mesmo nula.
1 Que não exaurem, contudo, todas as formas possíveis de transmissão das variações na taxa de juro aos preços, notadamente o canal de custos da política monetária (LIMA; SETTErFIELD, 2008) e os efeitos estruturais da taxa de juros (ChErnAvSky, 2008) que condicionam a evolução dos preços, negligenciados pela abordagem convencional com base nas hipóteses de que os choques de custos são aleatórios e que o produto potencial é independente da evolução da demanda. A atuação destes mecanismos torna a eficácia da política monetária ainda menor. 2 O que não é inteiramente verdade, considerando que grande parte da expansão do crédito tem sido absorvida pelo aumento no preço dos ativos, financeiros e reais, já existentes, e não pelo aumento do nível de atividade. 3 Situação em que o aumento da taxa de juros conduz, contrariamente ao esperado, à elevação da taxa de inflação.

19

Tal resultado, que aponta a grande ineficácia da política, não é em absoluto original. Com efeito, as evidências na literatura empírica sobre o assunto que comprovariam os impactos do aumento da taxa básica de juros sobre a taxa de inflação são em geral estatisticamente não significativas, enquanto os indícios apontando a existência de um price puzzle 3 na operação da política monetária são bastante robustos. Assim, os resultados aqui apresent ados, produto de exercícios com séries de dados mais recentes e extensas do que na maior parte da literatura, apenas confirmam as evidências anteriores, apontando o desempenho especialmente acanhado da política monetária como instrumento de combate à inflação no Brasil.

Diante dessa ineficácia e considerando os elevados custos envolvidos, questiona-se aqui se a decisão de aplicar uma política rigorosa ao longo de já mais de uma década tem sido de fato a mais adequada ou se, ao contrário, nas condições objetivas existentes na economia brasileira o papel central assumido pela taxa básica de juros na busca do controle da inflação deveria ser rejeitado e ela utilizada de forma muito mais parcimoniosa e em combinação com outros instrumentos.

4 Considerações Finais

Após análise do funcionamento dos principais canais mais frequentemente citados por meio dos quais as alterações na taxa básica de juros afetam os preços, verificou-se que as condições necessárias para o bom funcionamento desses canais, no caso do Brasil, ou não estão presentes ou estão apenas de forma muito parcial, e são marcadas por uma profunda incerteza, situação que resulta das características estruturais da economia do País e das importantes alterações

Referências

ChErnAvSky, E. Efeitos estruturais da política monetária e o canal de custos. Informações Fipe, n. 336, set. 2008. ChErnAvSky, E. No mundo da fantasia: uma investigação sobre o irrealismo na ciência econômica e suas causas. Tese (Doutorado). FEA – Universidade de São Paulo, 2011.

LIMA, G. T.; SETTErFIELD, M. Pricing behaviour and the cost-push channel of monetary policy. XIII EnCOnTrO nACIOnAL DE ECOnOMIA POLíTICA, João Pessoa, 2008. MIShkIn, F. S. Symposium on the monetary transmission mechanism. The Journal of Economic Perspectives, v. 9, n. 4, p. 3-10, Autumn 1995.
(*) Doutor em Teoria Econômica pela FEA/ USP. (E-mail: echernavsky@gmail.com).

maio de 2011

Similar Documents

Free Essay

Politica Monetaria Y Fiscal

...Pol tica Monetaria y Pol tica Fiscal Alberto Naudon PUC 1 semestre 2013 A. Naudon (PUC ) Monetaria / Fiscal 1 semestre 2013 1 / 46 Outline 1 Introduccion La restriccion presupuestaria del gobierno Ingresos derivados de la creacion de dinero La restriccion presupuestaria intertemporal La relacion entre la pol tica scal y la monetaria Hiperin aciones Teor a scal del nivel de precios 2 3 4 5 6 7 A. Naudon (PUC ) Monetaria / Fiscal 1 semestre 2013 2 / 46 Relacion entre la pol tica scal y la monetaria Notacion 1 2 3 Todas las variables en mayuscula son nominales, a menos que se indique lo contrario. En el caso de la deuda Bt es el stock de deuda a principio del per odo t. Esto se decidio en t 1 y la tasa de interes relevante para el calculo de los intereses es it 1 . Pt es el ndice de precio a nes del per odo t, por lo que para de actar Bt , la deuda a inicio del per odo t, se usa Pt 1 . bt = Bt . Pt 1 4 Por la misma razon, denominando Ht como la base monetaria a inicio del per odo t: Ht ht = . Pt 1 No hay crecimiento de la econom a ni de la poblacion. A. Naudon (PUC ) Monetaria / Fiscal 1 semestre 2013 3 / 46 5 Outline 1 Introduccion La restriccion presupuestaria del gobierno Ingresos derivados de la creacion de dinero La restriccion presupuestaria intertemporal La relacion entre la pol tica scal y la monetaria Hiperin aciones Teor a scal del nivel de......

Words: 4405 - Pages: 18

Free Essay

Estratégias Das Firmas Da Indústria de Transformação Brasileira

...DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE ECONOMIA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DETERMINANTES DA INOVAÇÃO AMBIENTAL: UMA ANÁLISE DAS ESTRATÉGIAS DAS FIRMAS DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA JULIA MELLO DE QUEIROZ RIO DE JANEIRO AGOSTO 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE ECONOMIA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DETERMINANTES DA INOVAÇÃO AMBIENTAL: UMA ANÁLISE DAS ESTRATÉGIAS DAS FIRMAS DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA JULIA MELLO DE QUEIROZ ORIENTADOR: PROF. CARLOS EDUARDO FRICKMANN YOUNG RIO DE JANEIRO AGOSTO 2011 2   JULIA MELLO DE QUEIROZ DETERMINANTES DA INOVAÇÃO AMBIENTAL: UMA ANÁLISE DAS ESTRATÉGIAS DAS FIRMAS DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de PósGraduação em Economia, Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro como parte dos requisitos necessários à obtenção do titulo de MESTRE em Ciências Econômicas. BANCA EXAMINADORA: ________________________________________________________ Professor Dr. Carlos Eduardo Frickman Young – Orientador ________________________________________________________ Professor Dr. José Eduardo Cassiolato ________________________________________________________ Professora Dra. Maria Cecília J. Lustosa RIO DE JANEIRO AGOSTO 2011 3   DETERMINANTES DA INOVAÇÃO AMBIENTAL: UMA ANÁLISE DAS ESTRATÉGIAS DAS FIRMAS DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO BRASILEIRA RESUMO: Diante da natureza dinâmica do papel da......

Words: 39510 - Pages: 159

Free Essay

Motivação E Satisfação No Trabalho Em Uma Empresa de Alta Tecnologia - Estudo de Caso

...UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO - CCA ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GERÊNCIA – ESAG PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO Linha de Pesquisa: Gestão Estratégica, de Processos e de Resultados. MOTIVAÇÃO E SATISFAÇÃO NO TRABALHO EM UMA EMPRESA DE ALTA TECNOLOGIA - ESTUDO DE CASO Roberto Kern Gomes Joinville – 2006 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO - CCA ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GERÊNCIA – ESAG PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO Linha de Pesquisa: Gestão Estratégica, de Processos e de Resultados. MOTIVAÇÃO E SATISFAÇÃO NO TRABALHO EM UMA EMPRESA DE ALTA TECNOLOGIA - ESTUDO DE CASO Dissertação programa de apresentada Pós-Graduação ao em Administração da Universidade do Estado de Santa Catarina e Escola Superior de Administração e Gerência como requisito parcial para a obtenção do grau de Mestre em Administração. Área: Motivação e Satisfação no Trabalho. Orientador: Professor Luis Gonzaga Mattos Monteiro, Dr. Roberto Kern Gomes Joinville – 2006 1 MOTIVAÇÃO E SATISFAÇÃO NO TRABALHO EM UMA EMPRESA DE ALTA TECNOLOGIA - ESTUDO DE CASO. Esta Dissertação foi julgada adequada para a obtenção do título de Mestre em Administração e aprovada em sua forma final pelo Programa de PósGraduação em Administração da Universidade do Estado de Santa Catarina e Escola Superior de Administração e Gerência. Florianópolis, 1º de dezembro de......

Words: 25432 - Pages: 102

Free Essay

Politica Monetaria

...LA POLÍTICA MONETARIA EN COLOMBIA La realidad económica de Colombia se ha enfocado desde diferentes perspectivas por parte de las autoridades políticas y económicas que deben ser tenidas en cuenta para entender las causas y consecuencias de las medidas con las que se han enfrentado las fluctuaciones del ciclo económico. Históricamente el país ha contado con una autoridad monetaria estable que ha sido consecuente con las decisiones políticas del gobierno nacional que como se describe a continuación ha utilizado diversos mecanismos para alcanzar sus objetivos. Para empezar, el periodo de la posguerra se enfrento con un modelo de sustitución de importaciones con el que se protegía la producción interna con un tipo de cambio efectivo para las importaciones con respecto a las exportaciones “olvidando otros indicadores como la inflación y las tasas de interés, o el crecimiento de la economía” (Chavarro Miranda & Grantoff Laverde, 2010; 19) Durante este periodo las decisiones de la Banca Central estaban ligadas a las metas del gobierno y debían obedecer a sus requerimientos, en 1963 se crea la Junta Monetaria que respondió principalmente a las necesidades de financiamiento de déficit fiscal con la emisión desmesurada de moneda. Bajo este panorama y con un sector industrial poco competitivo en cuanto a precio y calidad a partir de 1980 el país asume la industrialización imponiendo barreras a las importaciones con un tipo de cambio fijo que fuera relativamente......

Words: 1328 - Pages: 6

Free Essay

El Crecimiento En Brasil

...EL CRECIMIENTO EN BRASIL Introducción El propósito de este trabajo es ver como fue que se dio el crecimiento en uno de los países de mayor impacto actualmente en el mundo y el que actualmente es el mayor representante de América Latina, lugar que anteriormente ostentaba México. El crecimiento económico que sufrió Brasil desde mediados de la década de 1990 ha sido un caso sin precedentes en la región en la que se encuentra dicho país, tanto por el crecimiento que ha tenido como por las políticas que ha implementado el gobierno de este país para lograr dicho crecimiento. A lo largo de este trabajo se mostrara como se fue dando el crecimiento de este país, así como las diversas políticas económicas que se llevaron acabo para lograr el crecimiento que logro este país a partir de la década antes mencionada. Este trabajo se divide en tres partes fundamentales. En la primer parte de este trabajo se analiza el llamado Plano Real de combate a la inflación, asi como una pequeña descripción de como fueron los primeros años de gobierno con estas políticas macroeconómicas. En la segunda parte se analiza el como se siguieron dichas políticas económicas y el impacto que tuvo la continuación de estas políticas para la economía brasileña. En la última parte del trabajo se habla de las conclusiones que se pudieron obtener del presente trabajo, así como de algunos problemas que aun afectan a Brasil en su sociedad, pese al gran crecimiento que han experimentado en los últimos......

Words: 2758 - Pages: 12

Free Essay

Tg-001 – Importância Estratégica Da Tecnologia E Da Gestão Da Produção Pós-Graduação Lato Sensu - Tecnologia E Gestão Da Produção de Edifícios – Mba-Up/Tgp

...TG-001 – Importância estratégica da tecnologia e da gestão da produção Pós-Graduação Lato Sensu - Tecnologia e Gestão da Produção de Edifícios – MBA-UP/TGP PECE – Programa de Educação Continuada da Escola Politécnica PLANEJAMENTO EMPRESARIAL RESUMO TEÓRICO – ARTIGOS E CASOS TRABALHO ELABORADO POR Helton Haddad Silva COM A COLABORAÇÃO DE Evandro Tenca São Paulo, Fevereiro de 2003 2 ÍNDICE ÍNDICE .................................................................................................................................................................................... 2 INTRODUÇÃO ....................................................................................................................................................................... 3 I- O PLANEJAMENTO ......................................................................................................................................................... 4 1- O QUE É PLANEJAMENTO? ............................................................................................................................................... 4 2- DIMENSÕES DO PLANEJAMENTO: ..................................................................................................................................... 4 3- BENEFÍCIOS DO PLANEJAMENTO: ..................................................................................................................................... 5 II- O PLANEJAMENTO EMPRESARIAL:......

Words: 12194 - Pages: 49

Free Essay

Estrutura de Activos E Passivos Da Cgd

...Mestrado em Finanças 2010/2011 Disciplina de Instituições Financeiras A Estrutura de Activos e Passivos da Caixa Geral de Depósitos Filipe Pais Oliveira Bernardes 100417026 Nuno Miguel Pereira Fernandes 100417047 09-11-2010 Mestrado em Finanças 2010/11 – Instituições Financeiras Conteúdo Abstract ......................................................................................................................................... 2 A Instituição Caixa Geral de Depósitos ......................................................................................... 3 Estrutura de Activos e Passivos ..................................................................................................... 4 O Activo da CGD ............................................................................................................................ 6 Realizando uma análise rubrica a rubrica ................................................................................. 6 O Passivo da CGD ........................................................................................................................ 12 Análise Geral ............................................................................................................................... 16 Benchmark .................................................................................................................................. 17 Conclusões ...........................................................................

Words: 6973 - Pages: 28

Free Essay

Games E Gamers - Uma Análise Do Cunsumidor de Videogames No Brasil

...O mercado de vídeo games teve início na década de 70 e desde então vem crescendo, sendo hoje mais lucrativo que a poderosa e renomada indústria cinematográfica, gerando movimentações milionárias e tendo também criado personagens carismáticos e icônicos tais como Pac-Man, Mario, Sonic, Crash e muitos outros. Apesar de todo este impacto, o mercado de games ainda é pouco estudado e, principalmente, trabalhado, sendo muitas vezes considerável nocivo à sociedade e à cultura, algo muito questionado e com certeza gerando uma ineficiência de mercado, com demanda reprimida deixando de gerar receitas, empregos e perda de outras oportunidades, algo que normalmente ocorre com o lançamento de novas tecnologias por serem muito diferentes do conhecimento comum e tradicional. Este estudo almeja, portanto, mostrar a importância desse novo setor da economia trabalhando com o consumidor final dos jogos, ou gamer, entendendo o impacto dessa mídia em suas vidas e seu comportamento de compra. Contexto O mercado de games vem crescendo continuamente faturando milhões de dólares todos os anos, sendo o Brasil o segundo mercado que mais cresce no mundo segundo pesquisa da empresa GFK. Criado na década de 1972, a indústria do videogame se tornou mais que uma simples diversão, um símbolo cultural com uma legião de fãs e com retornos milionários, tendo, por exemplo, faturado U$66,00 bilhões de dólares em 2012, segundo pesquisa feita pela consultoria Newzoo. Entrando na sua oitava geração de consoles,......

Words: 3774 - Pages: 16

Free Essay

Trabalho Aplicativo Setorial Da Construção Cvil

...TRABALHO APLICATIVO Investigação sobre a Estrutura Industrial e Seu Impacto no Posicionamento das Maiores Empresas do Setor Setor da Construção Civil Certificate in Business Administration – CBA44 Prof. Daniel Motta Ana Gomes Bruno Marques Érica Pontes Filipe Makarausky Guilherme Gomes Silvio Paiva Tiago Jans São Paulo, 20 de Março de 2011 Trabalho apresentado ao curso de CBA, como requisito parcial para obtenção do Grau de Especialização em Administração de Empresas do Insper - Instituto de Ensino e Pesquisa. 2 Índice Introdução ..................................................................................................................................................... 5 1. 1.1. 1.2. 1.2.1. 1.2.2. 1.3. 2. 2.1. 2.1.1. 2.1.2. 2.1.3. 2.1.4. 2.1.5. 3. 3.1. 3.2. 4. 4.1. 4.2. 4.3. 4.3.1. 4.3.2. 4.4. 4.5. 4.5.1. 4.5.2. 4.5.3. Panorama da Construção Civil ............................................................................................................. 6 Relevância Social ............................................................................................................................ 8 Influência Governamental ................................................................................................................ 9 Programa Minha Casa Minha Vida ................................................................................................ 10 Programa de Aceleração do Crescimento .................................................

Words: 10453 - Pages: 42

Free Essay

Utilização de Swaps E Futuros No Brasil Por Agentes Não Financeiros

...UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE ECONOMIA MONOGRAFIA DE GRADUAÇÃO Utilização de Swaps e Futuros no Brasil por Agentes Não Financeiros VANESSA DUARTE DE CARVALHO Matrícula nº: 104022241 ORIENTADOR: Prof. Manuel Alcino da Fonseca AGOSTO DE 2008 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE ECONOMIA MONOGRAFIA DE GRADUAÇÃO Utilização de Swaps e Futuros no Brasil por Agentes Não Financeiros _________________________________ VANESSA DUARTE DE CARVALHO Matrícula nº: 104022241 ORIENTADOR: Prof. Manuel Alcino da Fonseca AGOSTO DE 2008 1 As opiniões expressas neste trabalho são da exclusiva responsabilidade do autor 2 RESUMO Esse trabalho se propõe a avaliar e discutir a importância e as formas de utilização dos contratos de derivativos. Os contratos analisados são os de swaps e futuros, levando em conta seu papel na redução e gerenciamento de risco. 3 Dedico este trabalho à minha mãe Nadja e ao meu querido irmão Marco, que me ensinaram a sempre superar os obstáculos. 4 5 ÍNDICE INTRODUÇÃO ..................................................................................................................................................... 7 CAPÍTULO I - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ............................................................................................. 9 I.1 ASPECTOS GERAIS DO MERCADO DE DERIVATIVOS............................................................. 9 I.1.1 CONCEITUAÇÃO E......

Words: 12826 - Pages: 52

Free Essay

Políticas de Inmigración

...Estructuración de la memoria ............................................. Página 4 El contexto demográfico a medio plazo............................... Página 5 Hoy ya están los niños y los jóvenes Políticas de integración de los niños y jóvenes hijos de inmigrantes ............................................. Página 7 La legislación española y los menores hijos de inmigrantes ........................................................... Página 9 Las situaciones en la escuela .............................................. Página 11 Los menores no acompañados ............................................. Página 13 También va habiendo adultos Adultos de la segunda generación... .................................... Página 16 Las experiencias con hijos de inmigrantes en Europa ........................................................ Página 18 El punto de vista de los concernidos Marroquíes .......................................................................... Página 20 Colombianos ........................................................................ Página 22 Conclusiones ................................................................... Página 24 El presente seminario analiza la “segunda generación” de inmigrantes en España, estructurándose para ello en cuatro partes: ( Introducción ( Menores hijos de inmigrantes ( Adultos de la “segunda generación” de......

Words: 11698 - Pages: 47

Free Essay

Hablando de Politica Economica

...Hablando de Política Económica Introducción  Qué es la economía  Qué intenta resolver  Cuál es el problema económico  Definición de economía  Ramas de la economía  Principales indicadores económicos Política económica  Se puede definir como el ejercicio deliberado de los poderes legítimos del estado mediante la manipulación de diversos instrumentos, con el fin de alcanzar objetivos socio-económicos previamente establecidos.  El análisis de las políticas públicas puede ser estudiada desde distintas disciplinas Economía, Derecho, Sociología, Ciencias Políticas, Psicología, Ingeniería, entre otras.  La Política Económica es la intervención deliberada de un gobierno en la actividad económica, con el objeto de conseguir ciertos fines u objetivos mediante la utilización de determinados medios o instrumentos. Economía Positiva VS Economía Normativa  La economía positiva se define como aquella que busca explicaciones objetivas del funcionamiento de los fenómenos económicos; se ocupa de lo que es o podría ser. En este sentido se dedica a establecer proposiciones (bajo determinadas circunstancias o supuestos se dan determinadas fenómenos o acontecimientos.  La economía normativa ofrece prescripciones para la acción basadas en juicios de valor personales y subjetivos ; se ocupa de lo que debería ser. Responde a criterios éticos, ideológicos, políticos sobre lo que se considere deseable o indeseable. Ejemplo rol y tamaño del estado.  En general...

Words: 2198 - Pages: 9

Free Essay

AnáLise Dos Fatores Condicionantes Da EmissãO de NotificaçõEs Aos Acordos Sps E Tbt

...Análise dos fatores condicionantes da emissão de notificações aos acordos SPS e TBT1 Analysis of the conditioning factors of the issuing notifications to the SPS and TBT agreements Lélis Maia Brito2 Orlando Monteiro Silva3 Fernanda Maria Almeida4 Marília Fernandes Maciel Gomes 5 Resumo: Os objetivos desse estudo consistiram na caracterização e análise das medidas regulatórias notificadas pelo Brasil aos acordos de barreiras sanitárias e fitossanitárias (SPS) e técnicas (TBT) da OMC; e na determinação de fatores que influenciaram as instituições do Estado na emissão das notificações às importações do agronegócio, no período entre 1996 a 2008. Como metodologia utilizou-se uma abordagem qualitativa, por meio da análise descritiva das notificações, e uma abordagem quantitativa, com a qual foram determinados os relacionamentos entre indicadores econômicos e do agronegócio nacional e a emissão das notificações. Os resultados obtidos mostraram um crescimento contínuo das notificações emitidas pelo Brasil, naquele período, sob as justificativas de prover alimentos seguros e proteção à saúde humana, animal e vegetal. Além disso, mostraram um relacionamento inverso entre os indicadores de competitividade do agronegócio brasileiro e dos investimentos no setor, com a emissão das notificações e, direto entre os indicadores de crescimento da economia e a emissão dessas medidas. Como conclusão tem-se que as medidas regulatórias emitidas pelas instituições governamentais,...

Words: 7676 - Pages: 31

Free Essay

Política de Crédito

...LA POLITICA DE CREDITO EN LA EMPRESA ALFA. Autora: MSc. Anabel Robaina. Dpto. de Finanzas. RESUMEN La creación de empresas mixtas con capital extranjero y la radicación en Cuba de sucursales extranjeras fueron premisas para el desarrollo y abastecimiento del turismo. Actualmente muchas de estas entidades siguen imbricadas en el mercado, y para satisfacer al mismo, teniendo en cuenta la amplia oferta de servicios y productos que existen en estos momentos, es necesario ser más eficientes en su gestión planteándose como objetivo ofrecer más calidad a un menor precio. En Cuba se acreditaron muchas compañías dedicadas a satisfacer las necesidades del turismo, creciendo la oferta a este sector. ALFA comenzó a comercializar sus productos y ha centrado sus esfuerzos en ganarse el mercado cubano ante sus otros competidores, por lo cual ha descuidado las condiciones y los términos de las ventas a crédito dados a sus clientes, además de que los importadores cubanos cada año les exigen a los proveedores extranjeros la concesión de plazos de financiamiento mayores, a tono con la situación económica del país. Todo esto ha propiciado que las cuentas por cobrar se pasen de los términos establecidos, trayendo por consiguiente problemas de liquidez que impiden el cumplimiento de obligaciones financieras con proveedores y empresas que le prestan servicios, siendo este el tema que se abordará en el presente articulo. Caracterización de la Empresa. ALFA -es un nombre ficticio, pues por razones de......

Words: 5831 - Pages: 24

Free Essay

Constitucion Política de Colombia

...CONSTITUCIÓN POLÍTICA DE COLOMBIA Actualizada hasta el 1º de septiembre de 2004 Bogotá, D.C. ADVERTENCIA El texto de la Constitución Política de Colombia proclamada el 4 de julio de 1991 se tomó de la Gaceta Constitucional No. 127, del 10 de octubre del mismo año. Los textos de las reformas constitucionales se tomaron de los siguientes números del Diario Oficial: — No. 40.995, del 18 de agosto de 1993. — No. 41.117, del 24 de noviembre de 1993. — No. 41.140, del 16 de diciembre de 1993. — No. 42.132, del 1º de diciembre de 1995. — No. 42.159, del 21 de diciembre de 1995. — No. 42.688, del 17 de enero de 1996. — No. 43.195, del 17 de diciembre de 1997. — No. 43.662, del 10 de agosto de 1999. — No. 44.138, del 23 de agosto de 2000. — No. 44.133, del 18 de agosto de 2000. — No. 44.506, del 1º de agosto de 2001. — No. 44.663, del 31 de diciembre de 2001. — No. 44.693, del 31 de enero de 2002. — No. 44.893, del 7 de agosto de 2002. — No. 45.040, del 20 de diciembre de 2002. — No. 45.237, del 3 de julio de 2003. — No. 45.424, del 8 de enero de 2004. En la edición se ha respetado el empleo que a las mayúsculas y minúsculas dan los textos oficiales. Los sumarios, las concordancias, las notas de pie de página y el señalamiento de las erratas son del Editor. La presente actualización ha tenido en cuenta las sentencias de inexequibilidad proferidas por la Corte Constitucional sobre......

Words: 53176 - Pages: 213